Atração

9 motivos que levam os recrutadores a não chamar os candidatos para entrevistas de emprego

Com a retomada da economia, o nível desemprego voltou apresentar queda no país. A taxa de desocupação caiu de 13,3% para 12,6% no trimestre encerrado em agosto, segundo os dados mais recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Embora o índice de desemprego mostre sinais de avanço, mais de 13 milhões de brasileiros ainda continuam em busca de ocupação. A fim de auxiliar esse contingente, a psicóloga do Quero Bolsa, Maria Fernanda Alves, preparou uma lista com nove erros mais cometidos pelas pessoas no momento de pleitear uma nova oportunidade de trabalho e que, consequentemente, impedem de serem chamadas para entrevistas de emprego. Confira:

1. Destinatário errado

É preciso ficar atento ao endereço de e-mail que foi disponibilizado para envio do currículo, uma letra fora do lugar e seu currículo pode ir parar no limbo virtual. “O candidato deve checar o endereço eletrônico no site ou páginas oficiais da empresa. Às vezes, quando alguém compartilha uma vaga no Facebook, Linkedin ou Whatsapp, pode cometer algum erro de digitação”, indica a especialista.

2. Falta de dados ou informações incorretas

Verifique se o telefone no currículo está correto. Alguns recrutadores preferem realizar ligações para agendar a entrevista de emprego. Caso o número esteja errado, a chance de perder a oportunidade é altíssima. Muitas pessoas podem pensar: ‘ah, o recrutador pode mandar um e-mail?’. No entanto, algumas empresas possuem vagas com grande senso de urgência e com ampla quantidade de postulantes na fila. Então esse candidato com o “número inexistente” poderá ser facilmente substituído por outro que estava com tudo correto e atendendo ao perfil da vaga.

3. Currículo fora do perfil

Existem vagas em que os requisitos são mais flexíveis, mas muitas exigem requisitos indispensáveis ao candidato ideal. Por mais que você pense: “Ah, me enquadro em 50%. Deve dar!”. Na maioria das vezes o candidato não é chamado para a entrevista de emprego. “A dica é sempre inserir a vaga do seu interesse no assunto do e-mail. Algumas empresas podem estar com diversas oportunidades abertas e o recrutador pode selecionar seu currículo para o cargo mais adequado ao seu perfil”, afirma Maria Fernanda.

4. Objetivo do currículo difere da vaga

Se a empresa para qual você está se candidatando procura um Técnico em Radiologia e no objetivo do seu currículo estiver escrito “Técnico Administrativo” o arquivo provavelmente será descartado naquele instante. Talvez nem dê tempo do recrutador verificar, por exemplo, que você possui  anos de experiência como Técnico em Radiologia. “Por isso, o objetivo do currículo precisa sempre estar alinhado com a oportunidade de emprego”, revela.

5. Erros de português no currículo

Para uma vaga que exija troca de e-mails ou comunicação frequente, erros de português são inadmissíveis. Muitos candidatos enviam currículo sem pontuação e acentuação, ou erram a concordância. “Muitas vezes estas falhas levam o recrutador a descartar o currículo. Antes de enviá-lo, revise o conteúdo e, se possível, peça para que outras pessoas deem uma verificada”, alerta a profissional do Quero Bolsa.

6. Envio fora do prazo

Muitas empresas divulgam uma data limite para envio do currículo. Se você perder o prazo, corre o risco de nem ter o documento aberto, pois simplesmente não cumpriu um requisito básico. Algumas companhias podem aproveitar o seu currículo para o banco de talentos, mas, nesse caso, o mais indicado é tentar contato direto com o recrutador e questionar se ainda consegue concorrer à oportunidade, mesmo após o prazo.

7. Pretensão salarial diferente do previsto

No caso da empresa divulgar uma determinada vaga com o salário de R$ 1.500,00 e no seu currículo, por exemplo, constar pretensão salarial de R$ 4.000,00, dificilmente o recrutador irá lhe chamar para a entrevista de emprego. “O correto é inserir uma remuneração compatível com a vaga que está buscando. Vale lembrar que a pretensão deve seguir a lógica da remuneração praticada pelo mercado para sua área de atuação e não o quanto deseja ganhar”, argumenta.

8. Currículos melhores

Algumas vagas são muito concorridas e os RH’s recebem centenas de currículos. Nesse caso, são selecionados aqueles currículos que, além de se encaixarem no perfil da vaga, apresentem diferenciais. Essas variáveis podem ser uma experiência relevante, intercâmbio, ou qualquer outra atividade adequada para a vaga e empresa. “Por isso, é recomendável realizar cursos de atualização ou livres e trabalho voluntário. Enfim, faça o que puder para ter um plus no currículo e ser o candidato com destaque”, aconselha.

9. Falha no RH

Esse fator também pode acontecer. Muitas vezes os recrutadores recebem centenas de currículos – muitos fora do perfil – para apenas uma vaga e podem não conseguir avaliar o currículo a tempo da rodada de entrevistas presenciais, perdendo você e diversos outros talentos. “Caso considere a vaga perfeitamente adequada ao seu no perfil, recomendo a tentativa de contato com o RH da empresa. Verifique também se não há algum funcionário dessa companhia na sua lista de amigos nas mídias sociais. Ele pode auxiliar ou até realizar a indicação ao gestor da área”, conclui Maria Fernanda.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics