Carreira

Amigos, amigos, negócios (nem tão) à parte

Diz o ditado que “amigos, amigos, negócios à parte”. De fato, misturar amizade com negócios exige preparação e um cuidado maior entre os envolvidos. Qualquer problema, desentendimento ou momentos ruins no dia a dia da empresa pode abalar para sempre uma relação que durava anos.

Entretanto, quando os sócios conseguem lidar com essas questões, a chance de dar certo é muito maior – o que otimiza o crescimento da companhia. Neste cenário, não faltam exemplos de amigos que viraram sócios e tiveram sucesso em seus setores, fortalecendo ainda mais os laços entre eles.

Como se vê, a amizade também é um bom negócio e não faltam datas que a celebrem. Um exemplo é o dia 30 de julho em que a Organização das Nações Unidas determinou como o Dia Internacional da Amizade. Contudo, os países do hemisfério norte escolheram o primeiro domingo de agosto. Já os cidadãos dos países da América do Sul preferem celebrar em 20 de julho.

A fim de lembrar esta data querida, veja abaixo amizades que driblaram os obstáculos do empreendedorismo e alcançaram o sucesso no mercado de trabalho em diferentes setores:

Do curso técnico à sociedade na FindUP

Fábio Freire e Tiago Lira se conhecem há muito tempo. A amizade começou quando fizeram um curso técnico e se estreitou nos anos seguintes quando participaram de diversos projetos em conjunto – Tiago chegou a ser fornecedor de Fábio, inclusive. Em 2008, Fábio fundou a primeira empresa. Quatro anos depois, Tiago entrou como sócio e, em 2015, surgiu a FindUP, sistema que inclui site e aplicativos para otimizar o contato entre Técnicos de TI e os clientes interessados na contratação destes prestadores de serviços.

Deu certo. Em dez anos, o empreendimento se consolidou no setor e se destacou justamente por ser uma expoente da economia compartilhada na área de TI. Neste período, os dois sócios conseguiram driblar as adversidades e se mantiveram unidos para continuar a trajetória de crescimento da companhia.

“A amizade, por si só, não torna o negócio mais saudável. As pessoas têm que, de fato, agregar muito valor ao negócio. É preciso separar os assuntos, não lavar roupa suja na frente da equipe e sempre conversar sobre tudo o que pode incomodar”, explica Freire.

Sócios que se tornam amigos

O contrário também pode acontecer: a boa relação no trabalho pode levar a uma grande amizade fora do ambiente corporativo. É o caso dos sócios da Pílula Criativa – agência de marketing digital. A empresa foi fundada em 2009 por Thiago Regis e atende pequenas, médias e grandes corporações.

Entretanto, em 2015, Thiago ganhou dois novos sócios. Walter Júnior e Patrícia Fonseca, proprietários da Cia. de Eventos, clientes da Pílula que se encantaram com o trabalho desenvolvido e entraram para a sociedade. Por fim, em 2017, foi a vez de Ricardo Inforzato passar de parceiro estratégico com sua empresa Brain Marketing Estratégia, para se tornar o quarto sócio da agência.

Hoje, cada um exerce uma função estratégica para o desenvolvimento da Pílula Criativa.

“Esse processo de estruturação da sociedade não teria ocorrido se antes disso não tivesse se formado uma forte amizade entre todos. Fatores como confiança, valores, ética, preocupação mútua e complementaridade de personalidades e conhecimentos foram preponderantes para essa decisão”, afirma Regis.

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics