Carreira

Autoconhecimento: exercícios ajudam a ter mais direcionamento pessoal e profissional

Decisões erradas, potencial reprimido e falta de foco para direcionar a vida, tanto a pessoal quanto a profissional. Esses são alguns problemas causados pela falta de autoconhecimento, que é fundamental para que cada um conheça suas habilidades e fraquezas, domine as emoções e situações, reconheça boas oportunidades e consiga traçar metas e ter motivação para realizá-las. Para ajudar nessa reflexão, a psicóloga Beatriz Brandão desenvolveu exercícios que funcionam como um guia.

“Fazer essa investigação interior é a melhor forma de não se autossabotar. Mas esse não é um processo fácil. Pode, inclusive, ser doloroso”, afirma ela. Entrar em contato com todos os sentimentos e desejos que existem dentro de cada um pode causar um desconforto inicial, mas esse diálogo consigo mesmo é o que possibilita que as pessoas entendam o que realmente as fazem felizes e satisfeitas.

No final do ano passado, Beatriz lançou “Quem sou eu?”, um livro que auxilia os leitores numa jornada de autoconhecimento a partir da investigação do passado e compreensão do comportamento presente para criar um futuro mais satisfatório. Para isso, há uma série de atividades de reflexão e escrita terapêutica. Abaixo, a especialista destaca três destes exercícios.

Novas reações para situações tensas

Assim como uma aula de teatro, a psicóloga propõe que o leitor identifique uma situação real que foge ao seu controle e descreva como pode se comportar de maneira a lidar melhor com esse obstáculo. Imaginar quais são as possíveis saídas e respostas ajuda a aceitar as situações ou respostas indesejadas e difíceis. Além disso, ela pede uma reflexão sobre a necessidade de mudar atitudes para obter resultados diferentes, no lugar de apenas insistir e remoer o fracasso e as estratégias ineficientes. Pensar nesses contextos quando o racional está reinando ajuda a ter maior controle e ciência de si.

Construa um caminho ativo de sucesso

Há quem se guia pelas previsões astrológicas e quem acredita que terá um dia ruim por diversas razões. É importante buscar no passado a raiz de pensamentos que limitam o comportamento, como “O mundo está em crise, por isso tudo está ruim para mim” ou “Essa é a vida que mereço”. “O primeiro passo para uma pessoa escapar desses lugares limitantes é perceber por que e como ela chegou nesse pensamento”, conta Beatriz.

Perdoe-se por não ser perfeito

O ser humano é passível de falhas e deve ter consciência de que nem tudo sai conforme o planejado. Portanto, é fundamental parar de cobrar-se em excesso e perdoar-se pelos fracassos. “Essa é uma das atividades mais importantes, pois ajuda a libertar da prisão mental”, diz a autora. A ideia é que, a partir da leitura em voz alta de uma série de enunciados como “Eu me perdoo por não me respeitar” ou “Eu me perdoo por me julgar”, o leitor escreva o primeiro pensamento que vem à cabeça. “É terapêutico”, explica ela.

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics