Atração

BNDES: forte investimento no capital humano

Atrair e reter talentos é uma das tarefas de toda empresa, pequena, média ou grande. Quando se fala de organizações do setor público, essa premissa se torna ainda mais essencial, uma vez que os profissionais concursados podem permanecer na organização por muitos anos.

No caso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o balanço tem sido muito positivo. Além de definir novos funcionários a partir de provas que funcionam como uma triagem mais complexa, é dentro da empresa que a responsabilidade de desenvolver esse capital humano de acordo com as necessidades empresariais aumenta.

De acordo com Carlos Alberto Lazari, chefe do departamento de Administração de Recursos Humanos, a organização oferece uma série de benefícios e ações que têm como objetivo moldar o profissional, “mas ao mesmo tempo fazer com que ele se sinta bem em trabalhar lá”.

Analisando os números do banco, o executivo explica que o BNDES tem um índice de turnover historicamente baixo. Lazari explica que a grande mudança nos números aconteceu no período de 2008 a 2013, com um programa de desligamento programado que resultou em uma renovação do quadro de pessoal, em decorrência das aposentadorias, por exemplo. “Atualmente, o BNDES tem 2.900 empregados. No ano de 2014, houve somente 17 desligamentos solicitados, cerca de 0,5%, e a satisfação dos profissionais está muito ligada às condições de trabalho oferecidas”, comenta.

É claro que, por ser uma empresa que necessita de concursos bastante concorridos, o processo de atração dos talentos é diferente. Lazari explica que os profissionais chegam já sabendo em que área ou operação querem desenvolver o seu trabalho, inclusive de acordo com as competências da própria pessoa. Mas isso não significa que o processo de desenvolvimento profissional seja mais simples, pelo contrário.

O chefe da área de RH conta que a empresa tem diversas ações descritas em seu plano de retenção que dão atenção total ao funcionário. O projeto começa assim que os novos empregados ingressam na empresa, com a ambientação, que reside em uma semana voltada para a apresentação do BNDES e dos principais projetos desenvolvidos internamente. Com esse passo dado, os profissionais podem passar por cursos de desenvolvimento profissional e programas de atenção psicossocial.

Nessa esteira, o RH trabalha de forma muito próxima das demais áreas da empresa. Existe um parceiro estratégico de RH em cada área do banco, que conhece os objetivos gerais e dá suporte aos gestores nos temas relativos ao setor. Em paralelo a esse trabalho, existe a gestão do clima, para compreender quais dimensões precisam melhorar e como os gestores podem ajudar no ambiente organizacional. Além disso, a empresa também conta com um programa de gestão inclusiva, estruturado para pessoas com deficiência que ingressam no BNDES, visando eliminar barreiras existentes sobre a inclusão social.

Além desses planos, Lazari destaca os esforços voltados para capacitação individual e os benefícios oferecidos, como plano de cargos e salários, vale-transporte integral, horário flexível, participação em resultados. “O BNDES mantém forte estímulo à capacitação, com programas de pós-graduação, treinamento no exterior e instrutoria interna. Também oferece oportunidades de movimentação interna de acordo com as competências dos empregados e necessidades das áreas. E por iniciativa do BNDES, pode haver também a possibilidade de cessão para outros órgãos de governo, para aquisição de conhecimentos e fortalecimento do relacionamento, de acordo com os interesses do banco”, comenta Lazari.

Além disso, a empresa mantém-se atualizada com o planejamento corporativo, utilizando metas estratégicas estabelecidas de cada área em indicadores no sistema BSC (Balanced Scorecard) e projetos corporativos, com equipes multidisciplinares, sobre os temas em destaque. O executivo comenta que, com as diretrizes do planejamento estratégico definidas, é possível nortear as prioridades de cada área e de seus colaboradores, e, durante o ano, cada gestor consolida com cada membro de sua equipe as contribuições esperadas para o período por meio da Agenda do Empregado.

Como resultado positivo das ações desenvolvidas internamente, um dos destaques e orgulho da empresa foi a indicação na categoria “Atração e Retenção de Talentos” da premiação Top of Mind de RH em 2014, mostrando que as ações são reconhecidas pelo mercado. “O desafio de 2015 é consolidar a posição da área de RH como parceira estratégica do negócio, desenvolvendo políticas e competências que atendam as demandas por flexibilidade e agilidade. Por exemplo, já temos em andamento o Projeto de Estrutura Organizacional, o Programa de Gestão Estratégica de Pessoas e o Programa de Desenvolvimento de Gerentes”, finaliza Lazari.

Comentários

comentários

Comente aqui!

Qual sua opinião?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics