Carreira

Brasileiros perdem mais da metade das vagas de trabalho por não falar inglês

Os números são reais e resultados de uma pesquisa desenvolvida pela Page Personnel. Foi constatado que independentemente do nicho de atuação do profissional, a fluência no inglês daqui a 10 anos deixará de ser um diferencial para se tornar um dos requisitos básicos para uma colocação no mercado de trabalho. Outro dado extraído mostra que 60% das vagas atualmente pedem que o candidato saiba inglês. Ou seja, sem dominar o inglês, o brasileiro (a) perde mais da metade das oportunidades de emprego.

No cenário atual em que o país passa por uma crise econômica e política, as exigências para preencher uma função nas empresas tendem a se tornar maiores. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), já são mais de 13 milhões de pessoas desempregadas e este quadro piora quando se trata dos mais jovens. O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou no último dia 14 de setembro que, de abril a junho deste ano, apenas 25% dos desempregados com idade entre 18 e 24 anos foram recolocados no mercado.

É neste momento que bate certo desespero nesses jovens-adultos que não tiveram a oportunidade de estudar o idioma, seja por questão financeira ou tempo. Leiza Oliveira, CEO da rede Minds Idiomas, traz uma boa notícia, no entanto: “A frase pode parecer clichê, porém nunca é tarde para aprender inglês. Além disso, quando o indivíduo se empenha na fase adulta para ficar fluente, demonstra resiliência e foco. Atitudes bem vistas pelos recrutadores”.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics