Gestão

Dor nas costas é a doença que mais afasta trabalhadores no Brasil

É a partir dos 40 anos que normalmente as pessoas começam a sofrer com as consequências de uma vida repleta de  maus hábitos. Atividades rotineiras executadas de maneira errada ou adotar postura incorreta repetidamente podem trazer sérios danos para a coluna. As pessoas que desenvolvem problemas e se queixam de dor costumam errar ao sentar para trabalhar ou até na hora do descanso, carregam peso de forma errada ou além da sua capacidade, Na hora de dormir usam colchão de má qualidade, já gasto ou deitam de maneira errada, erram na hora de escolher os calçados no trabalho ou no lazer e costumam exagerar no uso dos equipamentos eletrônicos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 80% da população mundial terá, ao menos, um episódio de dor nas costas durante a vida. No Brasil a dor na coluna é considerada a doença crônica mais comum, atingindo cerca de 36% da população, segundo dados da Escola Nacional de Saúde Pública.

Por isso, adotar hábitos simples no dia-a-dia pode ser a solução para graves problemas de coluna, como alerta Dr. Mauricio Marteleto, ortopedista, membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). “A primeira medida para evitar esse tipo de problema é corrigir a postura diante de atividades diárias. É vigiar-se ao pegar peso, ao levantar da cama e cuidar para sentar corretamente no trabalho e em casa. Além disso, é  importante manter o peso corporal dentro de uma faixa saudável e de acordo com a sua estatura e perfil para não pressionar a coluna”, ressalta o médico.

Alongar-se durante o dia também é uma forma de evitar e aliviar as dores, explica o ortopedista. “O alongamento precisa fazer parte do dia a dia das pessos. É uma tarefa essencial para quem quer prevenir as dores. São medidas simples como movimentar o pescoço da esquerda para direita, fechar e abrir a mão, entre outros”.

Saiba quais são os principais vilões da coluna e aprenda a se prevenir:

– Postura inadequada durante atividades físicas;

– Calçados inapropriados para cada tipo de piso ou situação;

– Sedentarismo;

– Sobrepeso ou obesidade;

– Ergonomia inadequada no trabalho (mesa e cadeira) e em casa (cozinha, colchão, sofá);

– Excesso de peso nas mochilas ou bolsas;

– Uso excessivo de celular, Ipads, notebooks e outros equipamentos eletrônicos que mantém a cervical na mesma posição por muito tempo;

– Sofás, poltronas e cadeiras com espuma gasta;

– Mau posicionamento dos bancos do carro e embreagem ou pedais muito duros;

– Movimentos repetitivos ou posturas que se mantêm por longos períodos, assim como a sobrecarga da região lombar.

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics