Carreira

FAPESP aumenta recursos para pesquisa e inovação em pequenas empresas

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), por meio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), está recebendo propostas para o desenvolvi mento de pesquisas tecnológicas a serem apresentadas durante o 3º Ciclo de Análise de 2017, para o qual os projetos aprovados poderão contar com mais R$ 15 milhões.

As propostas devem ser apresentadas até 31 de julho, e podem conter projetos em todas as áreas do conhecimento, desde que voltados para o desenvolvimento de produtos, processos e serviços com potencial de alcançar resultados inovadores.

Para esclarecer e tirar dúvidas sobre o programa e a elaboração de propostas, no dia 28 de junho, das 9:00 às 13:00, será realizado o Diálogo sobre Apoio à Pesquisa para Inovação na Pequena Empresa, na sede da FAPESP, em São Paulo.

No encontro, profissionais das áreas técnica e científica da Fundação vão orientar e tirar dúvidas sobre a elaboração de projetos, que devem ser executados em microempresas e empresas de pequeno porte, com até 250 empregados, sediadas no Estado de São Paulo.

Durante o evento, representantes da empresa Braincare Desenvolvimento e Inovação Tecnológica vão comentar o processo de pesquisa realizado na empresa com o apoio do PIPE, que resultou no desenvolvimento de um equipamento para monitorar a pressão intracraniana em pacientes humanos, de forma minimamente invasiva.

Trata-se de uma oportunidade para que representantes de empresas interessadas em apresentar projetos de pesquisa científica e/ou tecnológica entendam as características do programa. Um dos diferenciais do PIPE, por exemplo, é que mesmo empresas ainda não constituídas formalmente podem apresentar propostas, na condição de &ldquo ;empresa a constituir”.

Os projetos de pesquisa selecionados deverão ser desenvolvidos por pesquisadores que tenham vínculo empregatício com essas empresas ou que estejam associados a elas para sua realização.

Outra característica importante do PIPE é que o pesquisador proponente deverá demonstrar conhecimento e competência técnica no tema do projeto, mas não precisa, necessariamente, apresentar nenhum título formal, seja de graduação ou pós-graduação.

As propostas podem ser desenvolvidas em duas etapas. Primeiro, é preciso demonstrar a viabilidade tecnológica do produto ou processo proposto. Esta é a chamada Fase 1, para a qual os recursos aos projetos aprovados chegam a R$ 200 mil, para uso em até 9 meses. Na chamada Fase 2, o projeto pode receber até R$ 1 milhão para desenvolver o produto ou processo inovador, com prazo de até 24 meses.

Os projetos podem ser inscritos em qualquer uma das fases do Programa, exclusivamente por meio eletrônico, pelo Sistema de Apoio a Gestão (SAGe), no site da FAPESP. O resultado dos projetos aprovados será divulgado em 1º de dezembro.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics