Carreira

Mantenha o controle em uma reunião de negócios

“Quando você elimina da sua mente a frase ‘o que os outros vão pensar de mim’, consegue se permitir a divertir, errar, experimentar novas técnicas e aprender com o processo”. Este é um dos segredos de Kim Archetti, especialista em comunicação verbal, para evitar o “congelamento” durante uma reunião de negócios. Para ele, é indispensável focar os esforços em agir de forma natural e espontânea a fim de controlar o medo que o evento pode ocasionar.

Seja um empreendedor, funcionário de corporação ou executivo de qualquer escalão, todo profissional necessitará em algum ponto da carreira participar de uma reunião para apresentar uma ideia, produto ou vender os serviços para possíveis clientes. Neste momento é comum a dificuldade em lidar com o nervosismo. Ou seja, os pensamentos se embaralham, as mãos soam e a voz precisa de um impulso a mais para se projetar no ambiente.

Para se sair bem nesta situação, outra dica valiosa de Archetti é prestar atenção em questões como postura adotada, entonação e expressão corporal. “Aumentar um pouco o tom de voz, mostrar firmeza nas palavras e ter segurança e riqueza expressiva nos gestos ajudará a demonstrar o que os demais devem enxergar nesta hora: preparo”, afirma.

O especialista listou abaixo cinco estratégias para segurar as rédeas e manter o controle ao posicionar-se em uma reunião. Veja abaixo!

(Im)perfeição

Existe o ditado ‘a pressa é inimiga da perfeição’, mas poderia ser ‘a perfeição é inimiga da própria perfeição’. “Quando uma pessoa busca única e exclusivamente ser perfeita, pode deixar de aproveitar situações que poderiam lhe render mais sucesso naquilo que está sendo executado. Não é preciso acertar 100% para ser bem-sucedido. Basta se divertir com a situação. É importante tirar o melhor proveito possível e fazer tudo fluir de forma natural”, recomenda.

Confiança

Muito provavelmente em uma apresentação ou reunião, o conteúdo abordado é baseado em conhecimentos que você já domina. Dessa maneira, o próximo passo é trabalhar a autoconfiança e seguir adiante. “A partir do momento em que você se impuser no modo de falar e na postura assertiva, você não estará apenas mostrando o quanto é confiante aos demais, como também a si mesmo. Portanto, será capaz de enganar seu cérebro e passará a confiança necessária, que irá evoluir gradativamente conforme avançar com sua apresentação”, aponta.

Narrativa

Para Archetti, não basta ter um conteúdo organizado e informativo, é necessário que seja construído de acordo com o perfil daquele público. “É preciso entender quem serão os ouvintes e montar um discurso customizado. Para deixá-lo ainda mais interessante, é preciso que tenha nuances, com um pouco de humor e emoção, para envolver ainda mais as pessoas, além de expressões faciais e corporais de acordo”, ensina.

Empatia

Na visão do especialista, a falta de empatia é outro problema recorrente que poderá levar à falta de engajamento. “Por mais que a pessoa entenda do assunto que está abordando, ninguém está lá apenas para ouvir sobre a excelência dos seus serviços. É possível posicionar-se como um especialista ou conhecedor do assunto, sem exagerar na performance e acabar por afetar sua reputação ou a da empresa que representa”, analisa.

Treino

Tudo na vida melhora com técnicas e treino. “Primeiro aprende-se a técnica certa, depois treina-se para aperfeiçoá-la. É necessário buscar sempre métodos para aprimorar cada vez mais cada técnica, tornando-se um protagonista não somente de uma reunião mas da carreira e da vida, agindo de forma cada vez mais autêntica”, finaliza o especialista.

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics