Estratégia

Para 55% dos executivos brasileiros, empresas não inovam com rapidez suficiente

A velocidade de transformação é um elemento central na nova era dos negócios. No entanto, muitas empresas ainda não conseguem avançar no ritmo que gostariam. Mais de metade dos executivos brasileiros acredita que,ainda que suas companhias falem sobre estratégias digitais, não as operam com rapidez suficiente. Essa é uma das conclusões da recente pesquisa da consultoria de negócios Bain & Company. Ao todo, o conteúdo contou com a participação de em média 1.200 profissionais ao redor do mundo.

Entre as principais ferramentas que serão usadas pelas companhias, está a transformação digital. Em 2018, 82% dos executivos afirmam que a empresa passará pela mudança, ante 42% no ano passado. “Enquanto há algum tempo existia um ceticismo sobre a necessidade de digitalizar a empresa, hoje está mais claro para os executivos que a revolução provocada pelas tecnologias digitais afetará profundamente o contexto competitivo e a maneira de operar as ações”, afirma Mario Conde, sócio da Bain & Company.

Outra ferramenta em alta é a metodologia ágil que terá espaço em 79% das companhias este ano, em comparação com 25% em 2017. Enquanto tradicionalmente todas as etapas do projeto são documentadas e pensadas em detalhes, no método ágil esse processo é realizado em fases curtas e mais flexíveis. “A cultura de muitas empresas torna os processos decisórios excessivamente lentos, pautados na aversão ao risco. Metodologias ágeis de trabalho são ainda incipientes na maioria das corporações”, afirmou o consultor.

Tendências digitais no Brasil

– 69% dos entrevistados acreditam que poderiam aumentar substancialmente a inovação com a colaboração de pessoas de fora, até mesmo de concorrentes. Na América Latina, esse número cai para 68%.

– 65% crêem que as revoluções digitais e as soluções de software estão mudando, ante 70% na América Latina.

– 55% opinam que suas empresas falam sobre estratégias digitais, mas não as operam com rapidez suficiente. Na América Latina, o índice é de 57%.

– 54% acreditam que enfrentarão lacunas significativas entre as capacidades de TI e as necessidades comerciais ao longo dos próximos três anos, com o mesmo percentual na América Latina.

– 54% afirmam que capturam e exploram o valor total dos dados de todos os setores da empresa, ante 59% na América Latina.

– 53% crêem que suas capacidades avançadas de análise alcançam o mais alto padrão mundial. Na América Latina, o percentual é o mesmo.

– 23% acreditam que seus sistemas de TI restringem o crescimento lucrativo. América Latina com 34%

Projeção de uso de ferramentas digitais por executivos brasileiros em 2018

– Transformação digital: 82% (40% maior que em 2017).

– Internet das coisas: 74% (38% maior).

– Análise avançada (advanced analytics): 79% (43% maior).

– Ágil: 79% (54% maior).

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics