Compliance

Pesquisa revela que 59% das empresas investiram em compliance após a Lava Jato

Uma pesquisa feita pela Câmara Americana de Comércio (Amcham) mostrou que a operação Lava Jato motivou empresas a implantarem programas de compliance. Foram entrevistados 130 executivos, e foi identificado que 59% das empresas investiram na área por consequência da Operação Lava Jato.

“As empresas estão mudando o perfil da área de compras e suprimentos, por conta dessa preocupação com o compliance”, diz Luiz Fernando Godoy, um dos fundadores da Equipo Gestão, empresa brasileira que se dedica exclusivamente ao assunto.

Cerca de 44% dos entrevistados afirmaram que o foco da empresa para evitar fraudes tem sido o maior monitoramento. Com  objetivos  natos  de  investigações  internas,  prevenção  à  fraude  e  aderência  à  governança corporativa  da  organização  podemos  afirmar  que  um  dos  pilares mais importantes é a análise e gestão dos fornecedores de sua organização. “As responsabilidades solidárias e subsidiárias estão em moda, e nada como evitar uma desagradável surpresa ao descobrir um parceiro envolvido em casos de escândalos, ou mesmo interferindo desastrosamente em sua operação”, diz Godoy.

É essencial garantir que seu parceiro cumpra com suas  obrigações  legais  (fiscais  e  previdenciárias)  de  acordo  com  as  leis  vigentes.  Os  órgãos  governamentais  emitem  certificados periódicos de regularidade fiscal e tributária, eles devem ser analisados, não só evitando passivos financeiros por responsabilidade, mas também pela análise de riscos de sua operação.

Um parceiro com cadastro antigo e desatualizado e não monitorado pode estar comprometido financeiramente e acarretar baixa de qualidade de seus entregáveis até a interrupção repentina de  fornecimento.

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics