Carreira

Por que as empresas precisam de empreendedores?

Visão, postura de dono, fazer acontecer, inovar, criar oportunidades, construir resultados, sair da zona de conforto. Essas são algumas das características e competências que as empresas têm buscado desenvolver nos colaboradores. Afinal, empreendedorismo não é sinônimo de CNPJ. Ou seja, para empreender não há necessidade de criar um negócio e trabalhar por conta própria. Cada vez mais o universo corporativo precisa de pessoas com características empreendedoras. Sabe por que?  Muito simples…

Vivemos em um mundo em reconfiguração onde tudo está em constante mudança em uma velocidade impressionante. Arrisco a dizer que a transformação é quase que contínua e faz parte do nosso dia-a-dia. Foi-se o tempo em que era possível investir altos recursos durante dois ou três anos para lançar um novo produto no mercado. Quem faz isso hoje, corre um grande risco de perder todo o investimento antes mesmo de lançar o produto. Não apenas pela possibilidade de alguém ser mais rápido e eficaz no lançamento, mas principalmente pelo risco do “novo produto” perder a utilidade e o valor por conta de alguma mudança.

Veja o exemplo do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e do zika vírus (dentre outras doenças). As preocupações estavam no desenvolvimento de uma vacina contra a dengue e de repente autoridades mundiais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), União Européia e Estados Unidos viram-se obrigadas, em meio a uma situação cujas consequências para a saúde, principalmente de gestantes e bebês, ainda não sabemos ao certo, a pedir pressa e mudar o foco no desenvolvimento de uma vacina contra o Zica vírus.

E quem estava investindo na vacina contra a dengue, não corre o risco de ficar para trás? De outros players encontrarem alguma solução que resolva as duas coisas ao mesmo tempo? Inclusive soluções que não necessariamente estejam ligadas a vacinação? A resposta não sabemos, mas é fato que neste momento, quem tiver uma atuação mais empreendedora sairá na frente.

Indiscutivelmente estamos sob novas circunstâncias, em que o sucesso do passado não garante o do presente e muito menos do futuro. Existem os inúmeros casos de empresas de sucesso que resolvem expandir a atuação para outras regiões ou países e rapidamente se frustram. Isso acontece porque replicaram o que deu certo no lugar de origem e ignoraram as características locais da nova região, como cultura e perfil de clientes. O que faltou nestas iniciativas? Empreendedorismo! Principalmente por parte da equipe que está na linha de frente da operação.

Em alguns setores, nota-se companhias que só sobrevivem e conseguem competir com grandes players mundiais por conta do alto grau de empreendedorismo dos colaboradores. Como, na maioria dos casos, os recursos delas não são escassos, e, empreender é a forma de diferenciar-se e fazer acontecer.

No Brasil, onde atualmente passamos por um novo ciclo econômico e o macro cenário não é dos mais animadores fica ainda mais evidente a necessidade de empresas terem profissionais mais empreendedores. Pessoas que se preocupem com o “todo”, que  saiam da zona de conforto e ajam como dono, independente de cargo, hierarquia ou função. É preciso estar disposto a criar e construir resultados, respirar clientes, desenvolver equipes, potencializar os parceiros e garantir que processos, sistemas e tecnologias estejam coerentes com a conduta empreendedora para aumentar a velocidade de resposta. Então, te pergunto: Você é empreendedor?

Por Milton Camargo, Co-Fundador do Grupo Empreenda

Comentários

comentários

TOP
Web Analytics