Estratégia

Profissionais introvertidos também podem ser líderes?

Uma pessoa introvertida pode liderar uma equipe? Qual o perfil ideal de um líder? O objetivo destas questões é entender que apesar da pressão social para que as pessoas sejam extrovertidas, esta característica não é exclusiva de bons líderes. Sendo uma motivação muito importante em meus trabalhos de consultoria e treinamentos de liderança aplicada ao Coaching, profissionais de diferentes perfis me procuram para desenvolver suas habilidades de liderança, sempre questionando se as características de sua personalidade são adequadas para um cargo de gestão.

A perspicácia da liderança está atrelada justamente à inteligência emocional. As habilidades cognitivas emocionais são o alicerce para perceber o todo e não somente as partes. Uma das virtudes da capacidade emocional é justamente a forma de observar e perceber o outro e o meio inserido, saber observar e compreender os detalhes para uma boa tomada de decisão. É conhecida a expressão que afirma que as pessoas são contratadas por suas competências, mas demitidas por seus comportamentos.

Mas como identificar quais atitudes precisam ser trabalhadas para atingir os objetivos na carreira? Antes de tudo, é fundamental que cada indivíduo esteja disposto a passar por um raio-x comportamental para que possa analisar o que tem sabotado suas conquistas. Por meio de ferramentas de Coaching customizadas, aplicadas de acordo com cada objetivo, é possível diagnosticar quais posturas se deve adotar para atingir os objetivos a curto, médio e longo prazo. Se a meta, então, é ser um líder, de posse da análise comportamental é possível desenhar a trilha que se quer percorrer rumo ao propósito de ser um gestor.

Voltando ao tema central deste artigo: uma pessoa mais introspectiva pode ser um bom líder? Em primeiro lugar, não se pode denominar uma pessoa introvertida apenas pelo perfil comportamental da timidez. Aliás, ser introvertido é muito diferente de ser tímido. Não se pode suprir as características fundamentais das pessoas apresentando regras únicas que sirvam a todos, é preciso fazer uma análise sistêmica. Pessoas introvertidas podem ser altamente criativas, focadas, com uma percepção apurada aos detalhes, concentradas, atentas, precisas e menos passíveis de correr riscos imprevistos, o que faz uma grande diferença em cargos de liderança.

Como a maioria das pessoas tem a característica de seguir e de ser liderado, é importante refletir sobre o papel de um líder – que é o de motivar e engajar sua equipe rumo a resultados excelentes. Os líderes possuem um papel fundamental na concepção do clima organizacional, seja da sua equipe, em projetos e para as empresas, e ser introvertido é apenas questão de ser reservado, principalmente com o meio social – e as habilidades de um bom gestor vão além de uma postura mais extrovertida.

Para desenvolver características de um bom líder, o processo de Coaching pode ser um importante aliado para o indivíduo mais introvertido, que poderá ressignificar suas experiências e compreender qual aspecto da sua personalidade pode ser mais explorado e desenvolvido para assumir altos cargos. Abaixo listo 10 características que pessoas com este perfil podem desenvolver para tornarem-se líderes:

1. Pensamento Sistêmico: é a capacidade que o líder adquire para avaliar os acontecimentos ao redor e suas possíveis implicações com o objetivo de criar uma solução única que possa contemplar as expectativas de todas as partes envolvidas. Quanto mais você expande a sua capacidade pessoal para obter os resultados desejados, não somente para a empresa, mas para todos os que dela fazem parte, maior a probabilidade de se criar um ambiente favorável ao engajamento das pessoas para o alcance das metas escolhidas.

2. Comunicação assertiva: é uma das principais competências de um profissional de sucesso. Uma comunicação assertiva é aquela que consegue passar as informações com clareza, dinâmica e respeito, obtendo o retorno esperado. Quando funciona bem, cria um canal aberto que permite o diálogo entre as partes e maior intercolaboração.

3. Habilidade de relacionamento interpessoal: é a capacidade de iniciar, construir e manter bons relacionamentos com os colegas de trabalho. Colocar em prática técnicas de empatia, cuidado na abordagem ao iniciar um diálogo e saber respeitar as diferenças são imprescindíveis para os profissionais que almejam o sucesso.

4. Empatia com seus liderados: novamente trago a empatia como um importante ponto a ser desenvolvido. Compreender as motivações da sua equipe, saber ouvir e colocar-se no lugar do outro são capacidades que permitem que se compreenda o todo.

5. Capacidade de influenciar, inspirar e motivar: um bom líder é capaz de engajar a equipe a atingir resultados por meio de influência, inspiração e motivação. É preciso ser um exemplo e ter um bom nível de energia para impactar positivamente todo o time. Pessoas compram causas, portanto, abuse do seu poder de inspirar pessoas a atingirem suas metas e sonhos!

6. Dominar a arte de dar Feedback e Feedforward: a habilidade de dar feedbacks construtivos é fundamental em um bom líder. Aqui o liderado recebe dicas sobre atitudes cometidas que afetaram sua atuação e como pode aprimorar suas atitudes para um bom desempenho. Já o Feedforward tem foco em maximizar potencialidades, ele é aplicado direcionado para quais atitudes o liderado pode ter visando o presente, o futuro e a positividade.

7. Senso de urgência: um bom líder deve ter senso de urgência apurado e não deixar para amanhã o que deve ser feito hoje. O hábito de procrastinar é altamente destrutivo no ambiente corporativo – um líder deve ter consciência de sua agenda de tarefas e colocar em rota de ação seus planos para que possa atingir suas metas.

8. Saber tomar decisões críticas e complexas: um líder deve ter inteligência emocional para saber analisar todos os aspectos de uma decisão de forma sistêmica. São muitas as situações que exigem uma decisão assertiva, nas quais é preciso coragem para fazer a melhor escolha contemplando todos os aspectos – a equipe, clientes e empresa.

9. Coragem e Autoconfiança: determinação, coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso. Não importa quais sejam os obstáculos e as dificuldades, se o líder possui uma inabalável determinação, conseguirá superá-los. Independentemente das circunstâncias, é importante manter-se sempre humilde e com espírito colaborativo.

10. Envolver-se e resolver conflitos interpessoais: um líder muitas vezes se vê envolvido na gestão de conflitos interpessoais em sua equipe. É esperado deste profissional uma atitude pacificadora e assertiva na resolução destas questões. Nesta hora, a habilidade de empatia e bom relacionamento com o time são essenciais para a resolução do problema.

Por Fábio Meneghim, Master Coach da Empresa Brasileira de Coaching – EBC.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
21º TOP of MIND de RH
x
Web Analytics