Engajamento

Quase um terço das empresas ainda encaram programas de saúde como custo

A Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) divulgou uma nova pesquisa sobre Gestão de Saúde Corporativa, realizada entre os meses de maio e junho deste ano. Juntas, as empresas participantes da pesquisa empregam mais 1.300.000 de pessoas e atendem 3 milhões de beneficiados pelos planos de saúde empresariais (entre funcionários e familiares).

Conheça os dados que merecem maior destaque, segundo Joseane Freitas, diretora da consultoria Perfix:

– Em relação a como é tratada a saúde dos colaboradores nas empresas em geral: para 33% é vista como um investimento que gera retorno no engajamento e na produtividade, no entanto, para outros 31% é considerada como um custo obrigatório para não ficar em desvantagem com os concorrentes;

– 71% das empresas dizem trabalhar com uma estratégia e programas voltados à melhoria da saúde de seus colaboradores, porém, apenas 54% delas utiliza indicadores para acompanhar a gestão da saúde na empresa.

– Para 26% das organizações os custos com saúde subiram de 5% a 10% no último ano, para outros 24% das empresas a alta foi de 10% a 15%.

– Para 48% dos entrevistados o nível e estresse na empresa é médio, outros 32% afirmaram que o nível é alto.

Se as estratégias e programas de saúde estivessem funcionando apropriadamente, os resultados seriam bem superiores aos apresentados na Pesquisa, afinal, em 81% das empresas, os custos com planos de saúde subiram acima da inflamação, sendo que 55% delas, mais do que o dobro da inflação.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics