Engajamento

Sim, investir em ergonomia e conforto pode aumentar a produtividade

Dor nas costas e nos ombros, hérnia de disco, tendinite, inchaço, varizes e estresse são algumas das diversas causas de afastamento do trabalho, sendo a dor nas costas líder absoluta nesse quesito, de acordo com dados do Ministério da Previdência Social. Entretanto, muitos desses problemas podem ser prevenidos se o ambiente de trabalho for melhor estruturado com cadeiras com regulagens especiais, mobília e equipamentos que promovam conforto aos colaboradores.

A cadeira, um dos principais instrumentos de trabalho dos escritórios e home office, precisa ser ajustável, ergonômica, explica o arquiteto João Carlos Moreira Filho, sócio da Morence – Arquitetura + Design.

“Passar horas sentado pode ser ainda mais exaustivo se for em uma cadeira inadequada. A pessoa pode ficar encurvada, sem apoio nos braços, nas costas, o que vai levar a dores, certamente e, consequentemente, licença médica. Os diretores, gestores de empresas, precisam entender como esse item é fundamental para a produtividade”, aponta.

Segundo ele, o mercado oferece uma infinidade de cadeiras, de preços e modelos variados. Então, é preciso dedicação para fazer uma escolha interessante para a empresa. “Em um dos nossos projetos, para a nova sede da Localiza, fizemos testes, pesquisas e encontramos um modelo totalmente ajustável. Esse é o mesmo modelo usado pelo presidente e  colaboradores. Conforto é para todos”, ressalta Moreira.

Conforto ambiental

Luminosidade também influencia a produtividade em um dia de trabalho. Pouca ou muita luz leva a desconforto visual e mental, gerando dores de cabeça e nos olhos. “Pensar em projetos com janelas amplas, para que a luz natural entre, faz parte do conforto ambiental oferecido pela empresa. E também, se o sol começa a incomodar, existe a possibilidade de implantação de um sistema de automação que regula as persianas automaticamente, controlando a luminosidade de acordo com o passar do dia”, explica o arquiteto.

O excesso de barulho também é um fator que incomoda e eleva o nível de estresse no trabalho, lembra Moreira. “No projeto da Localiza, por exemplo, onde há um andar inteiro de call center, com mais de 200 pessoas falando ao telefone simultaneamente, fizemos um projeto com forro especial, carpete, painéis e gaveteiros com pequenos orifícios que permitem a absorção do som”, conta o arquiteto.

Outro detalhe interessante, que faz com que as pessoas se movimentem de tempos em tempos, é concentrar lixeiras em pontos específicos. “Além de ‘desentulhar’ as estações de trabalho, tirar as lixeiras de lá e concentrá-las em um só local faz com que as pessoas sejam ‘obrigadas’ a caminhar. Isso favorece a circulação sanguínea, prevenindo o inchaço nas pernas, por exemplo”, afirma Moreira.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
Web Analytics