Atração

Você conhece a diferença entre marca empregadora e marca de talentos?

Talvez você já tenha escutado (ou até usado) o termo “marca empregadora” sem ter certeza absoluta do que ele significa e como é diferente do conceito de “marca de talentos”. Criado em 1996, a marca empregadora é um nicho relativamente novo relacionado à atração de talentos. Embora a marca de talentos e a marca empregadora tenham algumas áreas de sobreposição, esses dois termos possuem várias diferenças importantes.

A maioria dessas diferenças está ligada à voz das suas contratações em potencial, ou do seu público. Não se engane, você possui muitas audiências. De fato, existem pelo menos três lados de cada história. Vamos olhar mais de perto o que diferencia esses conceitos e porque ambos são importantes para a reputação da sua empresa como uma empregadora.

Os benefícios e riscos da estratégia de marca empregadora

Uma marca empregadora trata-se, sobretudo, de contar histórias. Ela abrange como você deseja que a sua organização seja percebida e a mensagem específica usada ao compartilhar informações sobre ela.

As empresas possuem um grande controle sobre o marketing de marca empregadora, o que às vezes pode causar problemas – como quando várias empresas usam a mesma mensagem repetidamente. Essas frases parecem familiares?

– Nossas pessoas são o nosso maior patrimônio.

– Possuímos benefícios e vantagens incríveis.

– Oferecemos desenvolvimento e progressão na carreira.

– Somos a empresa mais inovadora do nosso segmento.

Elas parecem grandes afirmações no início, mas após a 27ª vez que um funcionário em potencial ouve a frase “Temos as melhores pessoas”, ela pode começar a perder o significado. Isto é o que chamamos de “Estratégia de Marca Empregadora”.

Fica ainda pior se essas frases não forem verdade, o que acontece com mais frequência do que você pensaria. Mesmo se os líderes de uma organização forem bem-intencionados, eles podem desenvolver uma visão distorcida das experiências de seus funcionários.

E quando as empresas tentam vender uma marca imprecisa ou sem autenticidade para funcionários em potencial, isso pode ter custos tanto em longo prazo quanto em curto prazo em termos de atração de talentos, engajamento e retenção dos funcionários.

A marca de talentos reflete as histórias contadas pelos colaboradores

De acordo com a TalentBrand.org, a marca de talentos se faz com as histórias e experiências contadas pelos funcionários. Então como ter certeza de que a sua ideia de marca está alinhada com a realidade do que os colaboradores estão dizendo? É aí que entra a visão holística da sua reputação.

Ao mesmo tempo em que a sua marca empregadora pode ser moldada e refinada pelos líderes da sua organização, a marca de talento vem diretamente das experiências e feedback dos funcionários.

Em outras palavras, a sua marca de talento não é o que o seu website ou rede social diz. Atuais, antigos e até os funcionários em potencial definem a sua marca de talento por meio de posts na rede social, comentários em sites, conversas diretas, interações e recomendações.

Essas opiniões de funcionários são valiosas e servem para que os líderes da empresa se certifiquem de que a marca empregadora está em linha com as experiências dos funcionários.

No entanto, esta é apenas uma peça do quebra-cabeça da Marca de Talento que você precisa analisar.

O valor da sobreposição

As empresas podem extrair o máximo de suas identidades de marca de talentos e marca empregadora quando levam em consideração esses dois conceitos ao mesmo tempo. Como saber quais canais são importantes o bastante para monitorar? Basta ver de onde ocorrem os maiores fluxos de candidatos.

Unir esses dois tipos de estratégia de marca ajuda a visualizar a sobreposição entre a maneira com a qual você enxerga a sua marca e como os funcionários enxergam a sua empresa. Esta área de sobreposição pode esclarecer onde o coração da sua marca está de verdade.

Ao focar nos aspectos da sua marca que os funcionários realmente apreciam, você terá um senso mais forte de quais vantagens e atributos da sua empresa você deve amplificar e compartilhar mais abertamente para atrair os tipos de pessoas que deseja contratar.

E quem sabe? Isto pode até significar que você pode trocar a fase “temos as melhores pessoas” por algo que seja muito mais apropriado.

Por Bryan Chaney, Diretor de Marca Empregadora do Indeed.

Comentários

comentários

Desde 1998 p&n é uma plataforma de conteúdos referência em Gestão de Pessoas e mundo do trabalho. Tanto nas versões web e impressa, com sua linha editorial independente, é focada na melhor entrega de informações e serviços para os profissionais de RH.

curte com a gente!

© 2017 Revista Profissional & Negócios. By Rockbuzz | Estratégia Digital

TOP
21º TOP of MIND de RH
x
Web Analytics